Alimentos que alteram o cheiro do corpo

Já ouviu aquela frase “você é aquilo que come”? Ela está correta, pois os alimentos saudáveis oferecem nutrientes essenciais para o corpo, além de contribuírem para evitar doenças oriundas de déficit, no entanto, alguns alimentos também podem realizar alterações pouco agradáveis. Ficou curioso? Saiba quais os alimentos que alteram o cheiro do corpo!

Quais os alimentos podem alterar o cheiro do corpo?

Sabemos que muitas pessoas amam perfumes, pois gostam de se sentirem bem cuidados. Há odores que são agradáveis, mas outros nem tantos.

O que muitas pessoas não sabem é que simples alimentos podem alterar o cheiro do corpo. Confiram a seguir quais são eles e porque isso acontece.

Vegetais crucíferos

Brócolis, couve-flor e couve são apenas alguns dos vegetais crucíferos mais populares. Estes vegetais são muito ricos em fibras, que não são digeridas pelo seu corpo. 

Quando a fibra viaja para o seu cólon, ela reage com as bactérias para produzir o gás que liberamos. Isso vale para qualquer alimento rico em fibras. 

A diferença com vegetais crucíferos é que eles são muito ricos em substâncias que contêm enxofre e se decompõem em sulfeto de hidrogênio, que tem um cheiro de ovo podre. 

No entanto, isso não é motivo para evitá-los, porque eles são muito bons para saúde. Comece com pequenas quantidades para ver como seu corpo lida com isso.

Aspargos

Comer aspargos pode resultar em urina que com cheiro forte, como os compostos de enxofre. 

O interessante é que nem todo mundo produz a urina com mau cheiro e algumas pessoas podem produzi-la e não ser capaz de sentir o cheiro. Isso é conhecido como anosmia. 

Existem algumas teorias sobre porque algumas pessoas ficam com odor forte na urina após consumir aspargos. Uma delas é que existe variabilidade genética nas enzimas envolvidas que produzem os metabólitos sulfurosos. 

Os aspargos são um dos alimentos importantes em uma dieta saudável, portanto, não deixe de consumir. O fator do cheiro da urina alterado é apenas um efeito simples, que não trás riscos.

Alho, cebola, cominho e curry

Existem duas maneiras principais pelas quais as pessoas podem dizer que você comeu alho, cebola, cominho e curry – sua respiração e seus poros. 

Quando seu corpo decompõe alho, cebola, ervas e temperos, como curry e cominho, são produzidos compostos semelhantes ao enxofre. Estes compostos são bastante evidentes na sua respiração. Eles também podem reagir com o suor da pele para produzir odor corporal.

Frutos do mar

O odor corporal após comer frutos do mar geralmente está relacionado a um distúrbio metabólico. Pessoas com trimetilaminúria desenvolvem um odor de peixe depois de consumir frutos do mar, porque não conseguem decompor a trimetilamina química encontrada naturalmente nesses alimentos. O odor aparece dentro de algumas horas. 

Trimetilaminúria não é um distúrbio comum. É diagnosticado com um teste de urina. As pessoas com esse distúrbio podem precisar evitar frutos do mar e outros alimentos que contenham precursores da trimetilamina, como ovos, fígado, legumes e leite de vacas alimentadas com capim.

Álcool

Há alguma evidência que sugere que as pessoas que bebem muito têm menos bactérias benéficas na boca, em comparação com os que não bebem. Esta bactéria pode contribuir para o mau hálito e também pode levar a doenças gengivais, placa bacteriana e cárie dentária. 

Nossos corpos metabolizam o álcool em acetato, que tem um cheiro doce característico. Quanto mais você bebe, mais acetato seu corpo vai produzir. Isso contribui para um maior odor corporal. As pessoas podem respirar o odor e ele também é secretado pelo suor.

A melhor maneira de minimizar o mau hálito e o odor corporal associado ao consumo de álcool é reduzir a quantidade que você bebe e se hidratar consumindo muita água.

Embora esses alimentos possam produzir alterações no odor corporal, eles possuem fontes de nutrientes importantes, o que pode ser feito a respeito é conversar com um nutricionista para que indique alimentos substitutos.

Responda o Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *